Login:

AlunosColaboradoresDocentes
A-
A+

Enfermagem

O curso de Enfermagem da UNIFATEB possui como premissa formar profissionais que entendam o principal papel do enfermeiro: cuidado e amor ao próximo. É quem vai atuar na linha de frente, promovendo, protegendo e reabilitando a saúde das pessoas. O enfermeiro deve desenvolver capacidade de comunicação, relacionamento interpessoal e humanização.

MODALIDADE
Presencial
TURNO NO PRESENCIAL
Noturno
REGIME
Seriado semestral
COORDENAÇÃO DE ÁREA
Profº. Me. Douglas Dal Molin
UNIDADE
Telêmaco Borba
POR QUE ESTUDAR Enfermagem?
ONDE VOU TRABALHAR?
QUEM FEZ RECOMENDA!
OUTRAS INFORMAÇÕES

Conhecer os recursos disponíveis e saber atuar com eficiência no atendimento à saúde da população, através das ações de prevenção de doenças, proteção, promoção e reabilitação da saúde.

  • Exercer a sistematização da assistência de enfermagem, destinada ao oferecimento de uma assistência de enfermagem segura, pautada na metodologia científica, com vistas à melhoria da qualidade de assistência à saúde e otimização dos serviços de saúde.
  • Promover a integração de conteúdos científicos, técnicos, filosóficos, culturais, econômicos, educacionais, políticos, éticos e sociais, integrantes da base conceitual do cuidar em enfermagem.
  • Integrar o conhecimento do enfermeiro e o rigor científico aos preceitos éticos e legais da profissão, enfatizando o seu comprometimento com a saúde do ser humano, desde à concepção até o momento pós-morte.
  • Garantir o processo permanente de atuação crítica e reflexiva, formando enfermeiros colaboradores para a melhoria das condições de vida e saúde em todo o mundo.

Legislação

O curso cumpre, em sua organização didático-pedagógica, o disposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Enfermagem, nos termos da Resolução n.º 3, de 7 de novembro de 2001 e demais legislações pertinentes:

– Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005 (Dispõe sobre a oferta de Libras nos cursos superiores);

– Resolução CNE/CES Nº 3, de 2 de julho de 2007 (Define o conceito de hora-aula);

– Resolução CNE/CES n.º 4, de 6 de abril de 2009 (Carga horária mínima dos cursos de graduação na área de saúde);

– Resolução CNE/CP N° 01 de 17 de junho de 2004 (Diretrizes Curriculares; Nacionais para Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Indígena);

– Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999 e Decreto Nº 4.281 de 25 de junho de 2002 (Apresenta as Políticas de Educação Ambiental);

– Resolução CNE Nº 1, de 30 de maio de 2012 (Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos);

– Lei N° 12.764, de 27 de dezembro de 2012 (Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista);

– Resolução CONAES Nº 1 de 17 de junho de 2010 (define a composição e as competências do ENADE).

As ações desenvolvidas no curso são orientadas, também, pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), Projeto Pedagógico Institucional (PPI), Regimento Institucional e pelas Resoluções decorrentes das deliberações dos seus órgãos deliberativos internos.

Ao concluir a formação, o Enfermeiro deverá providenciar sua inscrição junto ao Conselho Regional de Enfermagem – Coren – PR para exercer regularmente a profissão. O Coren é uma  Autarquia federal criada pela Lei nº 5.905, de 12 de julho de 1973, o Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren/PR), instituído em 1975, tem como finalidade disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de enfermeiro e das demais profissões compreendidas nos serviços de enfermagem.

Também é de responsabilidade do Coren/PR a emissão de documentos de inscrição aos profissionais que executam serviços de enfermagem habilitando-os, assim, para o mercado de trabalho.

Assistencial: o profissional enfermeiro pode prestar assistência de enfermagem na área hospitalar, em clínicas e outros serviços como, empresas e repartições públicas.

Docência: o enfermeiro também desenvolve atividades de ensino em cursos de enfermagem de nível médio/técnico e ainda podem ser professores de ensino superior em faculdades e universidades.

Gestão: nesta área se encontra: a gestão em nível estadual, municipal (secretários de saúde e coordenadores de programas), a gestão dos serviços de enfermagem das unidades hospitalares, como por exemplo: Centro Cirúrgico, Unidade de Terapia Intensiva, Serviço de Hemodiálise, Pronto Socorro e demais unidades dos hospitais e outros serviços como, por exemplo, dos Centros e Unidades Básicas de Saúde e das Equipes da ESF – Estratégia Saúde da Família.

Podendo ainda o enfermeiro exercer funções como: diretor de hospitais e de Centros de Ciências da Saúde das Universidades.

© 2022 FATEB - CNPJ: 00.904.138/0001-15 | Desenvolvido por Freshlab Agência Digital.

crossmenu linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram